segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Encandeamento…

Surgiste-lhe de repente
Iluminando ao redor;
Estrela resplandecente
Deste ao rapaz inocente
O sonho de um grande amor.

Mas com ar distanciado
Só lhe deste alguma afeição;
O rapaz encandeado
Viu o sonho malparado
E malferido o coração.

Veio a tristeza sem fim
Da espera a cada hora;
E sem quereres ser ruím
Fugiste a dizer não ou sim
E o seu coração chora!

Não és um vulgar tesouro
Que qualquer um pode querer;
Vales mais que todo o ouro
E não vais ao miradouro
De quem te queira escolher…

Amândio G. Martins



Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.