terça-feira, 29 de agosto de 2017

Incêndios - flagelo ou negócio?



De acordo com o PORDATA, em 2015 houve 15.851 Incêndios florestais em Portugal, contra os 2.349 registados em 1980, sendo que no período compreendido entre 1980 e 2015 se registaram um total de 350.445 incêndios, oque implicaram um total de 2128.684 hectares ardidos. 

https://www.pordata.pt/Portugal/Inc%C3%AAndios+florestais+e+%C3%A1rea+ardida+%E2%80%93+Continente-1192 

Nesse período, o governo em Portugal alternou entre PS e PSD/CDS, pelo que é mais que esfarrapada a desculpa de que a responsabilidade é do governo anterior. 

A culpa tem de deixar de morrer solteira, e muito menos virgem, no que nunca foi um flagelo, mas sim um negócio. 

Basta ver que uma hora de um helicóptero Kamov custa 35.000 euros que bem empregues certamente teriam outros resultados !!! 

É urgente: 
1) Que se tomem MEDIDAS PREVENTIVAS para que futuros incêndios não tenham as consequências dos últimos, nomeadamente o de Pedrógão 
2) Que se tomem medidas para IMPEDIR o REAPROVEITAMENTO da MADEIRA QUEIMADA para efeitos comerciais 
3) Que sejam feitas cumprir PENAS DE PRISÃO EFETIVAS para QUEM ATEIA fogos e para os respetivos MANDANTES 

Vêem assim e pela presente os signatários solicitar à AR a nomeação de uma comissão multipartidária com debate aberto e receção/auscultação de toda e qualquer pessoa, singular ou não, que possa contribuir para que de uma vez por todas Portugal seja um país verde e não castanho enegrecido. 

Da mesma forma se solicita ao Exmo. Sr. Presidente da República que ponha todo o peso institucional do cargo que ocupa na defesa de um bem que é de todos, a floresta. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.