segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Já era de esperar

‘De tanto ir o cântaro à fonte, até que um dia lá deixou a asa’, assim se deu a fatalidade há muito anunciada: um experimentado piloto de helicópteros de ataque aos incêndios, que estava a operar a partir do Centro Aéreo de Armamar, perdeu a vida em Cabril, do concelho de Castro Daire, e cujas fumarolas eu avistei de Vila Seca, concelho de Armamar, aonde inúmeras vezes o malogrado piloto no céu voou.
Paz à sua alma; sentidos pêsames à família enlutada, e que tudo seja feito para não se perpetuarem sazonalmente tantos criminosos incêndios, que anualmente estão a transformar o Portugal rural num verdadeiro inferno.

José Amaral

Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.