segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Notícias ao minuto

Nas ‘notícias ao minuto’, que frequentemente recebo no telemóvel, o título de uma delas chamou-me particular atenção, tendo em conta a desenfreada onda consumista a que o mundo dito culto chegou, devido ao seu principal predador, que tem o genérico nome de homem.
Esse homem, que tão belas obras tem conseguido de uma perfeição levada quase ao infinito, também está a ser o carrasco de si mesmo. Contudo, não arrepia caminho da loucura final para onde se dirige.
Assim, sôfrego de tudo e sem temperança necessária que o equilibre e o ponha no bom caminho, o título que me chamou a atenção foi este: ‘Estamos a morrer do que comemos’.
E, sem entrar no cerne da questão ou aprofundar o caso, assim reescrevo o seu complemento, começando pelo título em apreço: Se hoje estamos a morrer do que comemos, ontem morríamos do que não tínhamos para comer.

José Amaral



1 comentário:

  1. Naturalmente que os estudos sobre a qualidade dos alimentos é um bom serviço prestado à sociedade, mas eu preferia que houvesse um maior interesse em resolver os problemas dos que estão a morrer à fome. Ficaria mais satisfeito se os dinheiros que se gastam com esses estudos, fossem consumidos a dar de comer a milhões de pessoas esfomeadas (crianças e adultos). É uma opinião, válida como todas as que lhe são contrárias.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.