sábado, 19 de agosto de 2017

O tentacular grémio do fogo

Há décadas que os fogos têm dizimado o país. São matos, são bens, são pessoas que têm desaparecido, enquanto o inimigo se esconde bem longe das chamas desta sazonal desgraça colectiva.
Depois, são os eucaliptos, o foguetório das festas populares e as matas não limpas, os responsáveis por este bem engendrado e tentacular grémio do fogo.
Entretanto, em vez de se apostar decisivamente na prevenção, vão ainda gastarem-se muitos mais milhões na aquisição de mais e sofisticados meios de ataque a tais criminosas ignições e suas derivadas projecções.
Assim, sem se ir ao cerne da questão, o que de facto interessa são manter as negociatas estabelecidas até que Portugal desapareça nas chamas desta continuada fogueira, que a alguns dá muito a ganhar.

José Amaral


Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.