segunda-feira, 28 de agosto de 2017

“Olharápios”

O par com quem tu te deitas
Não é nem  assunto deles;
Mas mentecaptos espreitas
Mostram as suas maleitas
Ao seu jeito sempre reles.

Espreitam na fechadura
Para ver o que tu fazes;
Grande é a sua aventura
Poder ver sem “compostura”
Raparigas ou rapazes…

Deita-te com quem puderes
Na tua intimidade;
Sejam homens ou mulheres
Faz o que bem entenderes
Sem dar troco à maldade.

Puritanos sempre iguais
Ninguém quer as vossas lições;
Sois obcecados sexuais
Que vos pelais por bacanais
E sempre fostes aldrabões!

Amândio G. Martins


Sem comentários:

Enviar um comentário

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.