quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Que o tiro não vos saia pela culatra

Camaradas do mundo laboral, escrevo-vos para que tomem nota que o tiro pode sair-vos pela culatra, pelo que, aqueles que dizem defender, não saiam muito chamuscados do imbróglio grevista que se instalou na Autoeuropa, empresa estratégica para a economia do país e para os seus trabalhadores.
Às vezes mais vale refrear os ânimos, para, com cabeça fria se chegue à meta desejada.
Eu sei, após o 25 de Abril, que muitos sindicalistas afectos a determinada linha sindical sempre se opuseram à existência de comissões de trabalhadores, preferindo as comissões intersindicais de delegados de empresa, pelo que não é boa prática sindical e laboral 'impor-se' uma greve enquanto não for eleita uma nova comissão de trabalhadores para a referida Autoeuropa.
Pensem nisso e dialoguem.

José Amaral

3 comentários:

  1. Que bom! Foram pioneiros. Fizeram a primeira greve da história da fábrica. A mim cheira-me a novo-riquismo e exibicionismo que, como diz o senhor Amaral, lhes pode saír pela culatra. Ouvi um trabalhador dizer que se aceitassem trabalhar ao sábado teria uma compensação de mais quatrocentos euros mensais, mas que tal verba não lhe interessa...

    ResponderEliminar
  2. Quem não quis dialogar foi a administração da Autoeuropa... Sindicatos, comissões de trabalhadores, comissões intersindicais, delegados sindicais são estruturas de organização dos trabalhadores, para permitir a democracia também nos locais de trabalho... Conforme a Constituição da República, as comissões de trabalhadores são vocacionadas para o controlo da gestão das empresas, o que naturalmente mereceu sempre grande resistência patronal ou a tentativa de ter alguma influência nas mesmas, facilitada pela lei... A organização sindical está mais vocacionada para as condições de prestação do trabalho, desde os salários, tempos de trabalho, classificação profissional, higiene e segurança etc... As comissões de trabalhadores legalmente não podem convocar greves... Que seja do domínio público, a administração da empresa não utilizou qualquer chantagem... que tem sido invocada por alguns que estão sempre contra lutas de trabalhadores... A luta dos trabalhadores já obrigou a empresa a marcar reunião com os sindicatos... com quem não queria falar.

    ResponderEliminar
  3. Até aqui, os trabalhadores da Autoeuropa eram uns santos. De um momento para o outro passaram a ser uns malvados?
    Nem sequer me pronuncio quanto às suas decisões. Cabe-lhes a eles decidir!

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.