segunda-feira, 21 de agosto de 2017

REGRESSO À POLIS

Ás vezes sou um pouco arrogante, falta-me um pouco de humildade no debate político. Mas tal também é uma forma de defesa. São muitas lutas desde a faculdade e não admito estar às ordens de ninguém. Aliás, no meu percurso nunca segui a linha dominante nem nunca andei atrás do tacho. Confesso que em determinada fase da minha vida demarquei a política do resto da vida e não fui capaz de ter uma visão mais global. Agora, aos 49 anos, regresso à polis, à construção da cidade enquanto vida, poesia e diálogo filosófico, enquanto amor, liberdade e revolução vivida. Regresso à natureza, à ecologia porque o planeta está em perigo. Regresso à ideia e ao ideal porque nos tentam fazer a cabeça todos os dias e regresso ao combate porque é absolutamente insuportável que tenham transformado a vida numa corrida onde uns se atropelam aos outros pelo emprego, pelo dinheiro, pela carreira.

1 comentário:

  1. O meu Amigo e companheiro de blogue, despertou para observar, mais a fundo, este mundo, em que nos movimentamos. A vida tem um preço, e mais elevado para os que pensam. Para os tontos, andar por cá, é apenas uma passagem. Lutar é preciso, porque viver é preciso.

    ResponderEliminar

Caro(a) leitor(a), o seu comentário é sempre muito bem-vindo, desde que o faça sem recorrer a insultos e/ou a ameaças a quem quer que seja. Não serão considerados os comentários anónimos. Obrigado.